arremesso de peso

Posted: March 23, 2012 in Uncategorized

Arremessando o Peso

Há três estilos primários para arremessar o peso:
  1. Arremesso em Pé
  2. Deslize
  3. Arremesso Linear
O aquecimento é muito importante para o arremesso de peso (assim como para os outros eventos), a fim de prevenir contra lesões. O aquecimento consiste de trote, alongamento e exercícios leves. Cuidados especiais devem ser tomados para certificar que os punhos e mãos estejam total e adequadamente aquecidos.
 

Baixar
(formato MPEG)
 
O modo de segurar o arremesso é o mesmo para todos os atletas. As seguintes explicações referem-se sobre um arremesso com a mão direita.
 
 
O modo de Segurar o Peso & a Posição Inicial
  1. Segure o peso com as duas mãos.
  2. Coloque o peso na mão de lançamento (direita) e abra os dedos sobre o peso.
  3. Não repouse o peso sobre a palma da mão
  4. Deixe polegar e o dedo mínimo distantes para promover equilíbrio e suporte.
  5. Eleve o peso acima da cabeça e flexione o punho para trás.
  6. O peso é apoiado pelo polegar e pelo dedo mínimo nas laterais; a maior parte do peso localiza-se nos outros dedos.
  7. Abaixe o braço, coloque o peso contra o pescoço abaixo da orelha, com a palma virada para fora.
  8. O cotovelo fica distante do corpo.
  9. Exerça pressão contra o pescoço para dar apoio ao peso.
 
Modo de Segurar no Arremesso de Peso
 
Dicas de Treinamento
  • O cotovelo deve ficar atrás do peso.
  • Não deixe o peso cair na palma da mão.
 
 
Arremesso em Pé
  1. Partindo da posição inicial, fique com as pernas abertas próximas à borda delimitadora , voltando-se perpendicularmente à direção do arremesso (ombro esquerdo à frente do círculo).
  2. Ombros paralelos à direção do arremesso.
  3. Braço esquerdo (oposto ao braço do arremesso) fica relaxado, estendido na frente do corpo.
  4. Dê um passo para trás e flexione a perna direita, mantendo as costas eretas.
  5. Gire a parte superior do corpo em um ângulo de 90 graus de distância da direção do arremesso.
  6. O peso do corpo fica sobre a perna direita flexionada.
  7. Movimente os quadris e o peito no sentido anti-horário em direção ao arremesso.
  8. Estenda o braço direito e movimente os dedos, soltando o peso.
 
Arremesso em Pé, amplitude total de movimento
 

Baixar
(formato MPEG)
 
 
Arremesso por Rotação
  1. Partindo da posição inicial, fique com as pernas abertas próximas ao meio do círculo, voltando-se perpendicularmente à direção do arremesso (ombro esquerdo à frente do círculo).
  2. Abaixe a parte superior do corpo e flexione a perna direita posicionando-se ligeiramente de cócoras.
  3. Eleve o pé esquerdo e estenda-o à frente, deslizando o corpo em direção ao círculo frontal.
  4. A perna direita continua flexionada e o corpo fica perpendicular à direção do arremesso.
  5. Faça uma rotação com a perna direita e estenda o corpo para cima forçando os quadris em direção ao arremesso.
  6. Impulsione o peito à frente e estenda as duas pernas.
  7. Transfira o peso para a perna esquerda.
  8. Estenda o braço direito e arremesse o peso com as pontas dos dedos.
  9. Solte o peso, estendendo o braço direito na direção do arremesso.
 
Dicas de Treinamento
  • O pé esquerdo é colocado em frente ao pé direito equidistando um comprimento do pé.
  • Enfatize o impulso forte da perna.
 
 
Arremesso Linear
  1. Partindo da posição inicial, fique na parte de trás do círculo, distanciando-se da direção do arremesso; o peso cai sobre a perna direita.
  2. Coloque a bola do pé esquerdo sob a superfície de arremesso.
  3. Vigorosamente, salte para trás e gire os dois pés sob um ângulo de 90 graus paralelos à borda delimitadora .
  4. Pouse sob os dois pés simultaneamente.
  5. Faça uma rotação e eleve o tronco; os pés viram-se sob um ângulo de 90 graus em direção ao arremesso.
  6. Transfira o peso do pé direito ao pé esquerdo, viando os dois pés e joelhos em direção ao arremesso.
  7. Mantenha o cotovelo direito distante do corpo e estenda o braço direito vigorosamente.
  8. Mantendo o polegar para baixo, arremesse o peso e flexione vigorosamente o punho e os dedos para fora.
 
ArremessoLinear, amplitude total de movimento
 

Baixar
(formato MPEG)

Baixar
(formato MPEG)
 
Dicas de Treinamento
  • Mantenha as cotas eretas e o peso baixo durante o vôo.
  • A perna direita promove a maior parte da força ao planeio.
  • Planeie em posição de equilíbrio de trás para o centro do círculo.
  • Mantenha o dedo do pé esquerdo próximo à superfície de arremesso durante a extensão, e finque os pés rapidamente.
  • Movimente-se para a borda delimitadora com o pé esquerdo e não salte.
  • Estenda-se para além da borda delimitadora para aperfeiçoar o ponto de liberação.
 
 
O Reverso -Transferência de Peso
  1. Após o arremesso do peso, o braço direito segue e ultrapassa o corpo à esquerda.
  2. O braço esquerdo segue por trás ao redor do corpo.
  3. Troque os pés – o pé direito move-se em direção à borda delimitadora e o pé esquerdo move-se para trás.
  4. Todo o peso fica sobre a perna direita.
 
O Reverso – Transferência de Peso
 
 
Cadeirante – Posição de Início
  1. Coloque as rodas da frente das cadeiras de roda atrás da borda delimitadora do círculo, trave as rodas traseiras.
  2. Sente-se na cadeira com a postura ereta com as nádegas sobre a cadeira e os pés no suporte.
  3. Segure o peso com a mão direita.
  4. Coloque o peso na lateral do pescoço, e não sob o queixo.
  5. Mantenha o cotovelo à direita, apontando para trás e distante do corpo.
  6. Segure no suporte esquerdo para os braços com a mão esquerda para manter o equilíbrio.
  7. Estenda o braço direito vigorosamente.
  8. Abaixe o ombro esquerdo, eleve o ombro direito.
  9. Mantendo o polegar para baixo, arremesse o peso, virando o punho e os dedos para fora.
 
Dicas de Treinamento
  • Enfatize a postura ereta sobre a cadeira.
  • Treine sem o peso, então com uma bola leve de softball e, finalmente, com o peso.
  • Mantenha uma postura firme e ereta sobre a cadeira durante o arremesso.
  • Mantenha o braço esquerdo ao nível do olho.
 

Gráfico de Faltas e Posições

 
Erro Correção Referência de treino/teste
Lançar o peso ao invés de “arremessa-lo”.
  • O cotovelo de arremesso pode ter caído para baixo do ombro.
  • O peso não deve ser apoiado abaixo do queixo.
  • Corrija a posição da mão/braço/cotovelo mantendo o cotovelo elevado.
  • Treine no local de arremesso em pé.
O peso não sobe no momento do arremesso. Use as pernas para o impulso; certifique-se de que a posição para o alto seja seguida pelo corpo. Utilize um alvo para “arremesso” no ar (o treinador deve segurar uma barra/vara longa).
O arremesso não apresenta o impulso dos dedos.
  • Segure o peso de forma adequada (pontas dos dedos e polegar).
  • Não deixe o peso cair na palma da mão.
  • Fortaleça o polegar e os dedos.
  • Treine sem o peso.
Arremesso sem distância/potência. Eleve as pernas e costas simultaneamente, certificando-se de que as pernas “impulsionam” e todas as partes estão ocorrendo na seqüência correta.
  • Subdivida a habilidade.
  • Treine sem o peso ou utilize um peso leve.
 

Dicas dos Treinadores para Atletas de Arremesso de Peso – Em Um Piscar de Olhos

Dicas de Treinos

  1. O atleta deve sempre entrar e sair do círculo pela parte de trás.
  2. Subdivida o arremesso em partes e treine as partes.
  3. O cotovelo deve ficar atrás do peso.
  4. Demonstre uma forma apropriada de entrar e sair do círculo.
  5. Faça com que o atleta mantenha o cotovelo direito no nível do ombro durante o arremesso.
  6. Movimente os quadris à frente e mantenha o peito elevado e simétrico em direção ao arremesso.
  7. Estenda as pernas durante o arremesso.
  8. Arremesso o peso com os dedos.
  9. Finalize o arremesso com o braço direito estendido em frente ao corpo, mão acima do nível da cabeça.
  10. O atleta se mantém em equilíbrio o tempo todo que está no círculo de arremesso.
  11. Treine sem peso, com uma bola de softball e finalmente com o peso.
  12. O arremesso se inicia com a extensão das pernas.
  13. Não olhe para o peso depois de solta-lo.
  14. O queixo e peito do atleta encontram-se retos e para cima.
  15. Conforme a técnica se aperfeiçoa, o braço esquerdo envolve-se mais com a ação do arremesso.
  16. Mantenha o peso próximo ao pescoço antes do arremesso, a fim de evitar joga-lo.
 

Dicas de Competição

  1. Use as pernas. Impulsione-se partindo de posição flexionada para cima em direção ao céu.
  2. Coloque o peso do corpo no arremesso.
  3. Flexione os joelhos e solte as nádegas para trás em direção ao meio do círculo a fim de prevenir a queda à frente e incorrer em falta.

corrida

Posted: March 23, 2012 in Uncategorized

 


Correr

A corrida pode ser efetuada sem ou com a ajuda de objetos exteriores ao corpo humano.

Usando diretamente os pés

Tais como a corrida a pé ou jogging, a orientação, a corrida de obstáculo, assim como a patinagem ou o esqui.

Usando meios exteriores

Todas as outras formas que se podem classificar como sendo corridas de – que além de serem efetuadas com a ajuda de objectos exteriores o desportista está dentro ou em cima do objecto – como é o caso nas corridas de: bicicleta (estrada, BTT), moto (GP, moto-cross), automóvel (F1, rali), barco (remo, vela, motor), corrida de cavalos, etc. 

Correr de mais!

Há duas excepções notáveis nas corrida de …, trata-se da corrida de patins onde o desportista não está dentro de mas se limita a utiliza-los nos pés, e a corrida de galgos onde são os galgos que correm e não nós e sim para os outros! 

 

 


 

handebol

Posted: March 23, 2012 in Uncategorized

 

Táticas defensivas

 

Dimensões de uma quadra de andebol indoor oficial.

 

Dimensões de um campo de andebol outdoor comparado a um de futebol.

 

No handebol são usados sistemas defensivos como o 3x2x1, 5×1, 6×0, 4×2, 3×3 e 1×5. O sistema mais utilizado é o 6×0, onde se encontram 6 jogadores defensivos posicionados na linha dos 6 metros. A defesa 5×1 também é bastante utilizada onde 5 jogadores se posicionam na linha dos 6 metros e um jogador (bico ou pivô) se posiciona mais à frente que os outros. Não existem categorias e idades exatas para se utilizar cada tipo de defesa, isso depende da postura tática do defensor e, principalmente, da postura da equipe adversária. Além disso, nos jogos entre equipes de alto nível técnico, é comum a variação de formações de defesa durante o jogo, com o objetivo de confundir o ataque adversário.

 

Sistema defensivo 6×0

 

O Sistema Defensivo 6×0 Este sistema de defesa é a base de todos os demais. Os seis jogadores são distribuídos em torno da linha dos seis metros, sendo que cada defensor é responsável por uma determinada área na zona de defesa.

 

Sistema defensivo 5×1′O sistema de defesa por zona 5 X 1 é uma variação do 6 X 0. Cinco jogadores ocupam a zona dos seis metros e um é destacado para colocar-se na linha dos nove, para cumprir ações especificas inerentes ao sistema.

 

Sistema defensivo 4×2

 

Esse sistema é utilizado contra equipes com dois especialistas de arremessos de meia-distância, cujo jogadores de seis metros são de pouca técnica. Quatro jogadores (defensores laterais e centrais) ocupam a zona dos seis metros e dois jogadores (defesas avançadas) colocam-se na zona dos nove metros.

 

Sistema defensivo 3x2x1

 

Para diferenciar dos outros sistemas defensivos por zona, esta defesa tem três linhas defensivas. O defensor lateral direito, esquerdo e central formam a primeira linha defensiva junto à área dos seis metros. O defensor lateral direito e esquerdo formam a segunda linha de defesa, que se situa a cerca de dois passos à frente da linha de seis metros. O defensor avançado forma a terceira linha defensiva, na linha dos nove metros.

 

Sistema defensivo 5×1

 

São cinco jogadores na primeira linha e um fazendo marcação individual, geralmente no jogador que mais se destaca no ataque adversário.

 

Sistema defensivo 4×2

 

São quatro jogadores na primeira linha e dois fazendo marcação individual.

 

A maneira mais comum de se ver uma equipe jogar é representada no esquema acima. O sistema defensivo mais utilizado pelas equipas adversárias é o 6×0. Neste tipo de esquema o melhor posicionamento para o ataque é o representado na figura acima, onde 5 jogadores formam uma linha de passe em frente a linha de defesa. Os jogadores 1, 2, 3 ficam a passar a bola de um lado para o outro enquanto o pivô (4) tenta abrir um espaço (com muito cuidado para não cometer falta de ataque) para que os armadores ou o central penetre na defesa e arremesse cara-a-cara com o goleiro. O pivô deve manter também um posicionamento de modo que possa receber a bola, girar e arremessar. Neste sistema deve-se também haver um grande entrosamento entre o ponta (1) e o armador (2), pois as melhores oportunidades de gols podem surgir de jogadas realizadas pelos dois atletas, tendo que se preocupar com os dois a defesa fica mais vulnerável no meio. O sistema 6×0 dificulta a penetração na defesa por isso arremessos de fora (sem penetrar na defesa) são comuns nesse tipo de jogada, aconselha-se então armadores altos com o arremesso fortes. O central deve ser um jogador habilidoso e criativo.

 

Marcação Individual

 

Em situações extremas do jogo, como por exemplo nos minutos finais quando se está perdendo com pequena diferença de gols, é comum que a equipe parta para uma marcação onde cada jogador fica responsável por marca um adversário, tentando tomar a bola o mais rápido possível. Este procedimento defensivo é dificultado pelas dimensões da quadra e na maioiria das vezes pelo cansaço decorrente do tempo de jogo, mas não deixa de ser útil.

 

Atacando com 2 pivôs

 

Atacar com dois pivôs é arriscado, por isso recomendamos essa tática apenas para equipas um bom nível de conhecimento no andebol e esses esquemas devem ser utilizados apenas em ocasiões especiais, geralmente contra equipas inexperientes. As possibilidades de se criar jogadas na linha de passe tornam-se mais difíceis mas a defesa adversária fica mais presa. Um dos recursos utilizados para atrapalhar esse esquema é sistema defensivo 5×1, mas, isso deixa a defesa mais vulnerável, porém as possibilidades de intervir na linha de passe e surgir um contra ataque fatal são muito grandes. O segundo pivô também limita a atuação do jogador adiantado, podendo ser uma boa opção de passe, desta maneira o esquema “pode” também quebrar defesas 5×1 (também se deve ser realizado por equipas experientes). No sistema defensivo 6×0 podem utilizar dois pivôs, apenas quando as jogadas não estão surgindo na linha de passe e quando exista uma certa dificuldade na penetração, por isso a defesa deve se manter de 4 na quadra. Como se pode ver, o ataque com 2 pivôs é muito complexo por isso não é muito recomendável, principalmente para equipas inexperientes. Exige-se muito treino, atenção e habilidade dos jogadores, mas é uma boa opção em situações em que a equipa não possua um bom desempenho com apenas 1 pivô ou com dificuldades de arremessos de fora (jogadas de suspensão ou por cima das da defesa) são interceptadas pela defesa adversária. Existem várias maneiras de posicionar-se no ataque, dependerá sempre do andamento da partida. As táticas apresentadas acima são as mais utilizadas e comuns no andebol actual. Como existem adversários e sistemas defensivos diferentes a figura do treinador é importantíssima nesse momento.

 

Regras

 

A bola

 

Terá que ser de couro ou de outro material sintético. usa se também bola de borracha com área pesada para efectuar-se os treinos de lançamento e para ganhar força nos músculos, e ter um melhor manuseio

 

Manejo de bola

 

É Permitido: Lançar, parar e pegar a bola, não importa de que maneira, com a ajuda das mãos, braços, cabeça, tronco, coxa e joelhos (menos os pés). Segurar a bola durante o máximo de 3 segundos mesmo se ela está no chão. Fazer o máximo de 3 passos com a bola na mão. Conduzir ou manejar a bola com os pés não é permitido e nem chutar,quando ele não está a driblar pode dar 2 passos, ou seja 3 apoios com a bola na mão, após isso tem de realizar uma acção pessoal, seja passar a bola, rematar ou driblar (caso não o tenha feito previamente e parado), quando está a driblar não tem limite, se quiser pode ir de uma ponta a outra do recinto, desde que não pise as áreas de 6 metros, claro, e não apenas dar 3 passos enquanto dribla.

 

Comportamento com o adversário

 

Utilizar os braços ou as mãos para se apoderar da bola. É permitido tirar a bola da mão do adversário, com a mão aberta, não importa de que lado e bloquear o caminho do adversário com o corpo. É proibido arrancar a bola do adversário com uma ou com duas mãos, assim como bater com o punho na bola que o mesmo tem nas mãos.

 

Área do golo

 

Somente o guarda redes pode permanecer na área de gol. O adversário que entra nesta área é punido com a posse de bola do outro time .Se alguém invadir a área do golo antes de ter lançado a bola, estará sujeito a uma punição, e se o golo for feito será anulado, como está escrito nas regras.

 

Lançamento da lateral

 

O lançamento da lateral é ordenado, desde que a bola tenha transposto completamente a linha lateral. E tem que ser cobrado com um pé sobre a linha lateral da quadra e outro fora. Pode-se passar ou até mesmo marcar golo.

 

Tiro de meta

 

O tiro de meta é ordenado nos seguintes casos: quando antes de ultrapassar a linha de fundo, a bola tenha sido tocada, em último lugar, por um jogador da equipe atacante ou pelo goleiro da equipe defensora, estando este dentro de sua área de gol.

 

O Tiro de Meta no andebol é ordenado quando antes de ultrapassar a linha de fundo, a bola tenha sido tocada, por último, num jogador da equipe que ataca ou pelo goleiro da defensora

 

]Canto

 

O canto é ordenado desde que a bola tocada pela equipe defensora ultrapasse a linha de fundo. O lance é executado no ponto de interseção da linha de fundo e a linha lateral.

 

]Tiro livre

 

É ordenado tiro livre nos seguintes casos: entrada ou saída irregular de um jogador, lance de saída irregular, manejo irregular da bola, comportamento incorreto com o adversário, execução ou conduta irregular no lance livre e no lance de sete metros; conduta antidesportiva.

 

[editar]Tiro de 7 metros

 

Esse lance é ordenado quando um jogador sofre uma falta numa situação clara de gol. Ou seja, quando um jogador está livre para fazer um gol e é impedido através de uma “falta” pelo goleiro ou qualquer outro adversário. É cobrado da linha de 7 metros.

 

Bola ao ar

 

A bola ao ar é marcada quando, mantida a bola dentro da quadra e fora das áreas do goleiro, ocorrer: falta simultânea de jogadores das duas equipes; interrupção do jogo por qualquer razão, sem infração às regras.

 

Os árbitros

 

O jogo é dirigido por dois árbitros assistidos por um secretário e um cronometrista.

 

Andebol de praia

 

As regras do andebol de praia são em grande parte semelhantes às do andebol praticado em pavilhões, mas há, obviamente outras condições. O jogo é dividido em duas partes de 10 minutos cada uma, havendo um intervalo de 5 minutos entre estas. Apesar de se considerar um jogo a junção das duas partes, o resultado é contabilizado individualmente, isto é, no final da primeira parte, ao vencedor é atribuído um ponto. Caso haja uma equipa que consiga os dois pontos, é declarada vencedora, caso contrário, a decisão é tomada com base nos livres de 6 metros.

 

O guarda-redes pode jogar como jogador de campo, estando sujeito às mesmas regras que qualquer outro jogador. Dentro da sua área pode jogar com qualquer parte do corpo, fora, tal como os restantes jogadores, só dos joelhos para cima. Golo marcado pelo guarda-redes vale dois pontos.

 

Dimensões do campo

 

O campo é um retângulo de 40m x 20m, tendo em cada uma das extremidades do comprimento, uma área de 6 metros de comprimento reservada para os guarda-redes.

 

As balizas devem medir 3m x 2m (comprimento x altura) e os postes devem ter 8 cm de espessura.


volei

Posted: March 23, 2012 in Uncategorized

História do Voleibol 
Conheça a História do Voleibol, inventor do esporte, primeiro jogo, primeira bola, origem do vôlei

 William G. Morgan: o criador do voleibol

Origem do voleibol 

O voleibol foi criado nos Estados Unidos, no dia 9 de fevereiro de 1895, pelo diretor de educação física da ACM (Associação Cristã de Moços de Massachusetts) William George Morgan.

Ao inventar  o voleibol e suas regras, Morgan tinha como objetivo principal a criação de um esporte sem contato físico entre os jogadores. Desta forma, ele pretendia oferecer às pessoas (principalmente aos mais velhos) um esporte em que as lesões físicas, provocadas por choques entre pessoas, seriam raras.

Primeiros anos do esporte 

Nos primeiros anos, o voleibol ainda não contava com uma bola específica, sendo praticado com uma câmara da bola de basquete. A rede era improvisada, a mesma usada nas partidas de tênis. Neste período, o esporte era conhecido por Mintonette. Com o passar do tempo, foi ganhando o nome popular de volleyball, que acabou se tornando oficial.

Principais fatos após a invenção do voleibol:

–         1900 –  voleibol chega ao Canadá, primeiro país fora dos Estados Unidos

–         1908 – o esporte vai para o continente asiático e começa a ser praticado na China e no Japão

–         1910 – o esporte chega ao Peru, primeiro país da América do Sul a praticar o esporte

–         1942 – morre, aos 72 anos de idade, o criador do voleibol, William George Morgan

–         1947 – fundada na França a FIVB ( Federação Internacional de Voleibol)

–         1949 –  realizado o primeiro campeonato mundial masculino na Tchecoslováquia (foi vencido pela Rússia)

–         1951 – realizado o primeiro campeonato sul-americano de voleibol, na cidade do Rio de Janeiro. O Brasil tornou-se campeão masculino e feminino.

–         1952 – realizado o primeiro campeonato mundial feminino

–    1964 – o esporte passa a fazer parte do programa oficial das Olimpiadas, realizadas em Tóquio no Japão.  

Últimos campeões de voleibol:

– A seleção brasileira masculina de voleibol foi campeã do Campeonato Mundial de Vôlei nos anos de 2002, 2006 e 2010. A seleção feminina italiana foi campeão em 2002, enquanto a da Rússia obteve o título em 2006 e 2010.

– As Copas do Mundo de Vôlei de 2003 e 2007 também foram vencidas pela seleção brasileira masculina. 

– Na Copa do Mundo de 2011, a seleção russa sagrou-se campeã. Mesmo com o terceiro lugar, a seleção brasileira de voleibol conquistou uma vaga para os Jogos Olímpicos de Londres em 2012.

– A seleção feminina de vôlei da Itália foi campeã da Copa do Mundo de Vôlei nas últimas duas edições (2007 e 2011).

– Em 2008, nas Olimpíadas de Pequim, a seleção masculina de voleibol dos Estados Unidos obteve a medalha de ouro. Na categoria feminina, as jogadoras brasileiras fizeram bonita e conquistaram o ouro para o Brasil. 

Natação

Posted: March 23, 2012 in Uncategorized

Natação 
História da natação, modalidades olímpicas, benefícios para a saúde, estilos, piscina, esporte aquático

 Natação: esporte, recreação e benefícios para a saúde   

História da Natação 

A natação é uma atividade física praticada na água. Na Grecia antiga, esta atividade já era praticada por ser benéfica ao corpo humano. Este esporte já fazia parte das Olimpiadas na Grécia Antiga. No século XIX, os ingleses criaram as primeiras regras para a prática da natação enquanto esporte competitivo. Ainda no século XIX, as primeiras competições foram organizadas na Inglaterra.

Estilos

Levando em consideração o posicionamento do tórax e o movimento de pernas e braços, são definidos quatro estilos de natação: crawl (nado livre), borboleta, peito e costas. Nas competições de nado medley, os nadadores devem nadar os quatro estilos na seguinte ordem: borboleta, costas, peito e crawl.

Piscina

Uma piscina oficial para a prática da natação deve medir 30 metros de comprimento por 22,5 centímetros de largura. De profundidade, a piscina deve ter 1,35 metros ou mais. Nas competições, a temperatura da água deve estar entre 25° e 28° C.  A piscina deve ter oito raias (cada uma deve ser ocupada por apenas um nadador) com 2,5 metros de largura cada uma.

Benefícios para a saúde 

A natação é considerada um dos esportes mais saudáveis, pois trabalha com diversos grupos musculares e articulações do corpo. Há também o benefício desta prática desenvolver o sistema cardíaco e respiratório. Como qualquer atividade esportiva, antes de praticar, o indivíduo deve procurar orientação de um profissional da área e passar por testes de avaliação médica.

Modalidades Olímpicas de Natação 

– 50 metros Crawl (nado livre) 
– 100 metros Crawl (nado livre)
– 200 metros Crawl (nado livre)
– 400 metros Crawl (nado livre)
– 800 metros Crawl (nado livre) * somente feminino
– 1500 metros Crawl (nado livre) *somente masculino
– 100 metros costas 
– 200 metros costas 
– 100 metros peito 
– 200 metros peito 
– 100 metros borboleta 
– 200 metros borboleta 
– 200 metros medley 
– 400 metros medley 
– Revezamentos 4 x 100 metros livres 
– Revezamentos 4 x 200 metros livres 
– Revezamentos 4 x 100 metros estilos

Principais competições

– Em agosto de 2009, tivemos as competições de natação nas Olimpiadas de 2008 de Pequim (China).
– Entre 19 de julho e 2 de agosto de 2009, ocorreu o Campeonato Mundial de Natação em Roma (Itália).

Curiosidades:

– As competições internacionais de natação são organizadas pela Fina (Federation Internationale de Natation), criada em 1908.
– No Brasil, quem organiza as competições oficiais é a CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos).
– Comemora-se em 8 de abril o Dia da Natação.

Historia

Posted: March 23, 2012 in Uncategorized

História

Uma partida de futsal.

São duas as versões para a origem do futebol de salão, ambas envolvendo a Assiciação crista Moços. A primeira, não é oficial até então o esporte começou a ser praticado por volta de 1930, por jovens frequentadores da Associação Cristã de Moços (ACM) de são paulo que, para compensar a falta de campos de futebol, improvisavam “peladas” (futebol de fins de semana) nas quadras de futvolei e volei , aproveitando as redes usadas na prática desse último esporte. Na segunda versão, o futebol de salão teria sido inventado em 1940, pelo professor Juan Carlos Ceriani Gravier, da ACM de Montevideú (uruguai), dando-lhe o nome de Indoor Football.

Alterando ao curto prazo. Antes das regras serem estabelecidas, praticava-se futebol de salão com times de cinco a sete jogadores. A bola foi sendo deixada mais pesada numa tentativa de reduzir sua capacidade de saltar e consequentemente suas frequentes saídas de quadra. A “bola pesada” acabou por se tornar uma das mais interessantes características originais do futebol de salão.

Já no ano de 1950, passado João Lotufo para secretário-geral da ACM São Paulo De Souza, transferiu Asdrúbal Monteiro para o cargo de diretor de Educação Física, com a proposta de que os dois resolvessem os problemas da prática desse esporte, elaborando assim, um novo regulamento com elementos dofutebol, do hóquei sobre a grama , do basquete e do polo aquatico.O número de jogadores, e as peculiaridades do jogo não foram estabelecidos de início.

Durante dois anos, Lotufo e Monteiro, estudaram, observaram, e aplicaram as novas regras, chegando no “protótipo” do esporte que encontramos hoje, como fixando o limite de cinco jogadores e as marcações da quadra, chegando ao resultado satisfatório que justificou na publicação da regra do futebol de salão em 1950, com isso o esporte foi intensamente praticado nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Em 1957 surgiu a primeira iniciativa de se uniformizar as regras do esporte, através da criação do Conselho Técnico de Assessores de Futebol de Salão, por Sylvio Pacheco, então presidente da Confederação Brasileira de Desportes(CBD).

Devido a sua praticidade, tanto no reduzido número de jogadores necessários em uma partida, quanto no espaço menor que exigia, o esporte rapidamente adquiriu crescente popularidade, atingindo outras localidades, gerando novos torneios e conquistando adeptos em todas as capitais do país. Em 28 de Julho de 1954 foi fundada a primeira federação do esporte no Brasil, a Federação Metropolitana de futebol de salão, atual Federação de Futebol de Salão do Estado do Rio de Janeiro, tendo Ammy de Moraes como seu primeiro presidente. A Federação Mineira de Futebol de Salão seria fundada nesse mesmo ano, seguida da Federação Paulista, em 1955, e das Federações Cearense, Paranaense, Gaúcha e Baiana, em 1956, a Catarinense e a Norte Rio Grandense, em 1957, a Sergipana em 1959. Nas décadas seguintes seriam gradualmente estabelecidas federações em todos os estados da União.

Futebol de Slalão

Posted: March 23, 2012 in Uncategorized

Futebol de salão (também referido pelo acrônimo  futsal) é o futebol adaptado para prática em uma Quadra esportiva por times de cinco jogadores, apenas. As equipes, tal como no futebol, têm como objetivo colocar a bola na meta adversária, definida por dois postes verticais limitados pela altura por uma trave horizontal. Quando tal objetivo é alcançado, diz-se que um Gol foi marcado, e um ponto é adicionado à equipe que o atingiu. O goleiro, último jogador responsável por evitar o gol, é o único autorizado a segurar a bola com as mãos. A partida é ganha pela equipe que marcar o maior número de gols em 40 minutos divididos em dois tempos.

Devido às proporções da área de jogo, o menor número de jogadores e a facilidade em que se pode jogar uma partida, o futsal já é considerado por muitos como o esporte mais praticado do Brasil, superando o futebol que ainda assim é o mais popular.

A rigor, existem duas modalidades do esporte, sendo uma delas a mais antiga, estabelecida quando a Federação Internacional De futebol de salão ou futsal de quadra (FIFUSA) regulamentava a prática do esporte e por isso conhecida como futbol de salão -FIFUSA e a outra, estabelecida sob a regulamentação da FIFA, conhecida como futsal (embora esse termo atualmente denomine indistintamente a prática do esporte nas duas versões). As diferenças limitam-se a algumas poucas regras, mas que acabam influenciando sensivelmente a dinâmica e a plástica do jogo.